Quik Cidadania

O projeto Quik Cidadania surgiu a partir do diálogo dos bailarinos Letícia Carneiro e Rodrigo Quik com representantes das políticas públicas da área da cultura no município de Nova Lima. Em 2002, iniciou suas atividades oferecendo aulas de dança para 40 participantes e, em março de 2006, foi ampliado, atendendo atualmente 160 alunos  (crianças, adolescentes, jovens e adultos) que participam de aulas de diferentes linguagens artísticas como a dança contemporânea, as artes plásticas e a música.

O seu objetivo principal é favorecer o processo de democratização da fruição e produção da arte, visando agregar valores de cidadania e qualidade de vida aos beneficiários diretos e aos moradores do bairro Jardim Canadá, promovendo assim, um desenvolvimento sociocultural neste território. Idealizado a partir de uma concepção de arte e educação, tem ampliado o acesso às diferentes manifestações artísticas, contribuindo com o desenvolvendo de habilidades pessoais e interpessoais de seus participantes.

Graças ao apoio da Prefeitura de Nova Lima e ao patrocínio da Vale por meio da Lei Rouanet, tem sido possível a ampliação e a continuidade do projeto.

Quik Mais Educação

O Quik Mais Educação é um projeto desenvolvido em parceira com a Escola Municipal Benvinda Pinto Rocha e integra o Programa Educação Integral promovido pela Secretaria de Educação da Prefeitura de Nova Lima. Foi concebido para atuar na construção de novos espaços educativos, ampliando a jornada escolar de cerca de 120 alunos.  Construído a partir da experiência do Quik Cidadania, oferece aulas de dança, música, artes plásticas, teatro e grupos socioeducativos. 

Quik Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos

Em 2014, a Quik passou a executar o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos/SCFV por meio de um convênio com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social de Nova Lima.  Atende 50 usuários entre crianças, adolescentes e adultos, por meio de atividades de arte e educação. O serviço é realizado em grupos propiciando trocas culturais e outras vivências entre os usuários. Tem como objetivo fortalecer os vínculos familiares e sociais, incentivar a participação social, o convívio familiar e comunitário e trabalhar o desenvolvimento do sentimento de pertença e identidade. É pautado na defesa e afirmação dos direitos, com vistas ao alcance de alternativas emancipatórias para o enfrentamento da vulnerabilidade social. Pauta-se também no desenvolvimento de ações articuladas e co-responsáveis com o Centro de Referência em Assistência Social e outros equipamentos da rede socioassistencial da regional noroeste que atuam na promoção dos direitos de crianças, adolescentes e suas famílias. As atividades desenvolvidas são oficinas de dança, artes plásticas, cultura digital, música, mostras artísticas, grupos socioeducativos, visitas domiciliares e orientação aos usuários e familiares.

O SCFV propicia aos seus participantes o desenvolvimento da habilidade de conviver, o senso crítico, a criatividade, a iniciativa, a cooperação, o senso de pertença e o protagonismo. Além disso atua na ampliação ao acesso às diferentes manifestações artísticas contribuindo com o desenvolvendo de habilidades pessoais e interpessoais de seus participantes.